Estudo da Cisco mostra que organizações já estão obtendo resultados comerciais de seus investimentos em privacidade de dados, além de ficarem mais seguras contra ameaças

Corporativo 2 de abril de 2019

As organizações que se anteciparam e investiram no amadurecimento de suas práticas de privacidade de dados estão agora colhendo os frutos desses investimentos. É o que diz o Estudo de Benchmark de Privacidade de Dados de 2019 da Cisco, que também analisa a ligação entre a boa prática de privacidade e os benefícios comerciais de se investir em segurança e privacidade.

Um fator apontado pelo relatório como determinante na relação entre empresas e processos de segurança foi o Regulamento Geral de Proteção de Dados da União Europeia (GDPR), que estabeleceu novos parâmetros em todo o mundo e conscientizou os usuários sobre sua privacidade e o uso de seus dados.

Mais de 3.200 profissionais globais de segurança e privacidade dos principais setores em 18 países responderam à pesquisa da Cisco sobre as práticas de privacidade de suas organizações. De acordo com o estudo, as organizações preparadas para o GDPR citaram uma menor incidência de violações de dados, um número menor de registros impactados em incidentes de segurança e tempos de inatividade mais curtos do sistema. Eles também se tornaram muito menos propensos a ter uma perda financeira significativa de uma violação de dados.

Além disso, 75% dos entrevistados citaram que estão obtendo muitos e maiores benefícios de seus investimentos em privacidade, incluindo maior agilidade e inovação resultantes de controles apropriados de dados, obtenção de vantagem competitiva e uma aprimorada eficiência operacional ao terem seus dados organizados e catalogados.

 

Resumo dos principais resultados:

  • 87% das empresas enfrentam atrasos em seu ciclo de vendas devido a preocupações de clientes ou prospects com a privacidade, maior que os 66% do ano passado. Isso é provavelmente devido à maior conscientização sobre a privacidade provocada pelo GDPR e às frequentes notícias sobre violações de dados
  • Por país, a conformidade com o GDPR variou de 42% a 75%. Espanha, Itália, Reino Unido e França estavam no topo da lista, enquanto a China, o Japão e a Austrália estavam na ponta mais baixa
  • Apenas 37% das empresas preparadas para o GDPR tiveram uma violação de dados que tenha custado mais de US$ 500 mil, em comparação com 64% das empresas menos preparadas para o GDPR