Cada vez mais dinâmico, o processo de transformação digital exige uma atenção redobrada com softwares e dispositivos de segurança por parte de pessoas e empresas

Segurança 15 de maio de 2019

Os próximos anos serão marcados por uma transformação digital de grandes proporções. Segundo um levantamento do IDC, a previsão é de que em 2020 serão gerados 35 trilhões de gigabytes de dados, muitos deles trocados entre pessoas, empresas e governos. Com a ascensão da Internet das Coisas, a quantidade de dispositivos conectados se expande exponencialmente. Segundo estimativa da Cisco, mais de 28 bilhões de dispositivos e conexões estarão conectados em 2022. Um mundo mais digital se aproxima, e ele só será benéfico para as pessoas, empresas e governos se todos se conectarem com segurança.

A expansão da conectividade também aumenta a responsabilidade pela manutenção da segurança de dados, e todos os usuários têm um papel determinante para a criação de uma rede equilibrada. Nos dias de hoje, por mais complexo que o assunto de segurança digital possa parecer, não existe mais a opção de ignorá-lo. É necessária uma conscientização geral sobre os efeitos que ela pode ter sobre nossos negócios, além de entender mais sobre como nosso uso diário influencia em todo o processo.

O principal ponto a ser lembrado quando falamos sobre proteção de contas, dados, devices e redes online é que pessoas e empresas são mutualmente responsáveis pela própria segurança nos dias de hoje. Com o processo de Transformação Digital em ritmo acelerado e uma cultura de anywhere office adotada por um número cada vez maior de empresas, a proteção da infraestrutura digital se tornou apenas uma das etapas necessárias para criar um ecossistema digital verdadeiramente seguro. É preciso que se construa uma verdadeira cultura de empresas e usuários em torno de um sistema preparado para as ameaças de hoje.

Em um mundo e ambiente de negócios cada vez mais remoto e com uso de dispositivos móveis, baseado em serviços e estruturas em nuvem, a cultura em torno da segurança digital passa necessariamente pela criação de protocolos de treinamentos e diretrizes dentro das empresas que precisam ser seguidas à risca, para além do espaço do escritório. Estabelecer diretrizes rígidas para acessos remotos por VPNs, acesso em duas etapas, uso de redes Wi-Fi não confiáveis e até mesmo uso de redes sociais por meio de dispositivos ou logins da empresa é fundamental. São cuidados básicos que não devem mais ser negligenciados no dia a dia de uma empresa.

São rotinas que podem, em um primeiro momento, gerar certo aborrecimento. Afinal, quem nunca reclamou de ter que esperar um código por SMS para poder logar ao e-mail de trabalho, quando se tem algo urgente para resolver? Estes procedimentos, mesmo demandando um pouco mais de tempo, aos poucos ajudam a moldar novos hábitos, perpetuando uma preocupação constante com a segurança de dados. É necessário lembra-se sempre: os dados são os mesmos. Em casa ou no trabalho, não existe um ambiente que permita um hábito menos seguro que o outro.